Seguidores da Pimentinha Brasileira:

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

A carta aberta da filha de Genoíno e uma bela resposta a ela



Carta aberta aos brasileiros da filha de José Genoino
A coragem é o que dá sentido à liberdade
Com essa frase, meu pai, José Genoino Neto, cearense, brasileiro, casado, pai de três filhos, avô de dois netos, explicou-me como estava se sentindo em relação à condenação que hoje, dia 9 de outubro, foi confirmada. Uma frase saída do livro que está lendo atualmente e que me levou por um caminho enorme de recordações e de perguntas que realmente não têm resposta.
Lembro-me que quando comecei a ser consciente daquilo que meus pais tinham feito e especialmente sofrido, ao enfrentar a ditadura militar, vinha-me uma pergunta à minha mente: será que se eu vivesse algo assim teria essa mesma coragem de colocar a luta política acima do conforto e do bem estar individual? Teria coragem de enfrentar dor e injustiça em nome da democracia?
Eu não tenho essa resposta, mas relembrar essas perguntas me fez pensar em muitas outras que talvez, em meio a toda essa balbúrdia, merecem ser consideradas...
Você seria perseverante o suficiente para andar todos os dias 14 km pelo sertão do Ceará para poder frequentar uma escola? Teria a coragem suficiente de escrever aos seus pais uma carta de despedida e partir para a selva amazônica buscando construir uma forma de resistência a um regime militar? Conseguiria aguentar torturas frequentes e constantes, como pau de arara, queimaduras, choques e afogamentos sem perder a cabeça e partir para a delação? Encontraria forças para presenciar sua futura companheira de vida e de amor ser torturada na sua frente? E seria perseverante o suficiente ao esperar 5 anos dentro de uma prisão até que o regime político de seu país lhe desse a liberdade?
E sigo...
Você seria corajoso o suficiente para enfrentar eleições nacionais sem nenhuma condição financeira? E não se envergonharia de sacrificar as escassas economias familiares para poder adquirir um terno e assim ser possível exercer seu mandato de deputado federal? E teria coragem de ao longo de 20 anos na câmara dos deputados defender os homossexuais, o aborto e os menos favorecidos? E quando todos estivessem desejando estar ao seu lado, e sua posição fosse de destaque, teria a decência e a honra de nunca aceitar nada que não fosse o respeito e o diálogo aberto?
Meu pai teve coragem de fazer tudo isso e muito mais. São mais de 40 anos dedicados à luta política. Nunca, jamais para benefício pessoal. Hoje e sempre, empenhado em defender aquilo que acredita e que eu ouvi de sua boca pela primeira vez aos 8 anos de idade quando reclamava de sua ausência: a única coisa que quero, Mimi, é melhorar a vida das pessoas...
Este seu desejo, que tanto me fez e me faz sentir um enorme orgulho de ser filha de quem sou, não foi o suficiente para que meu pai pudesse ter sua trajetória defendida. Não foi o suficiente para que ganhasse o respeito dos meios de comunicação de nosso Brasil, meios esses que deveriam ser olhados através de outras tantas perguntas...
Você teria coragem de assumir como profissão a manipulação de informações e a especulação? Se sentiria feliz, praticamente em êxtase, em poder noticiar a tragédia de um político honrado? Acharia uma excelente ideia congregar 200 pessoas na porta de uma casa familiar em nome de causar um pânico na televisão? Teria coragem de mandar um fotógrafo às portas de um hospital no dia de um político realizar um procedimento cardíaco? Dedicaria suas energias a colocar-se em dia de eleição a falar, com a boca colada na orelha de uma pessoa, sobre o medo a uma prisão que essa mesma pessoa já vivenciou nos piores anos do Brasil?
Pois os meios de comunicação desse nosso país sim tiveram coragem de fazer isso tudo e muito mais.
Hoje, nesse dia tão triste, pode parecer que ganharam, que seus objetivos foram alcançados. Mas ao encontrar-me com meu pai e sua disposição para lutar e se defender, vejo que apenas deram forças para que esse genuíno homem possa continuar sua história de garra, HONESTIDADE e defesa daquilo que sempre acreditou.
Nossa família entra agora em um período de incertezas. Não sabemos o que virá e para que seja possível aguentar o que vem pela frente pedimos encarecidamente o seu apoio. Seja divulgando esse e/ou outros textos que existem em apoio ao meu pai, seja ajudando no cuidado a duas crianças de 4 e 5 anos que idolatram o avô e que talvez tenham que ficar sem sua presença, seja simplesmente mandando uma palavra de carinho. Nesse momento qualquer atitude, qualquer pequeno gesto nos ajuda, nos fortalece e nos alimenta para ajudar meu pai.
Ele lutará até o fim pela defesa de sua inocência. Não ficará de braços cruzados aceitando aquilo que a mídia e alguns setores da política brasileira querem que todos acreditem e, marca de sua trajetória, está muito bem e muito firme neste propósito, o de defesa de sua INOCÊNCIA e de sua HONESTIDADE. Vocês que aqui nos leem sabem de nossa vida, de nossos princípios e de nossos valores. E sabem que, agora, em um dos momentos mais difíceis de nossa vida, reconhecemos aqui humildemente a ajuda que precisamos de todos, para que possamos seguir em frente.
Com toda minha gratidão, amor e carinho,
Miruna Genoino

Resposta por Manoel Santos, em 10 Out 2012 a cartinha aberta da filha do Genoíno
Bom, como a carta aberta da filha de Genoíno é endereçada À TODOS OS BRASILEIROS, e eu, como carioca da gema, filho agradecido de nordestino cabra da pesta e de uma mineirinha de 1.57cm, enfezada feito uma capeta mestruada, tenho, por óbvio, o direito de responder.
Querida Miruna, me solidarizo, sinceramente, com sua dor. Um filho ou filha, agradecidos ao pai que lhes trouxe ao mundo, funciona como um advogado, quando da defesa de um réu.
Lamentavelmente o fato de ser avô, ter dois filhos e 3 netos, por si só, não garante que um cidadão que se enquadre nesta condição seja elevado à condição acima de quaisquer suspeitas.
Fernandinho Beira Mar é pai. Tem 4 filhos (reconhecidos) e também é avô de dois netos e isso, convenhamos, não serve de passaporte para a impunidade.
Infelizmente Você teve a CONSCIÊNCIA do que seu pai fez durante o REGIME MILITAR. Eu, ao contrário de você, vivi todos os piores momentos daquela época.
Não estranhe o fato: MAS MUITOS BRASILEIROS COLOCARAM SUAS VIDAS EM RISCO, ACIMA DO CONFORTO E DO BEM ESTAR INDIVIDUAL, para resgatar nossa democracia. Eu estava nesse meio, como outros milhares de brasileiros. E comecei a fazer isso, com apenas 16 anos de idade.
Seu pai, ao contrário do que afirmas, causou mais dor do que tenha sentido. Basta que você leia sobre a guerrilha do Araguaia, motivo de orgulho de seu pai, para saber o que realmente ali se passou. Os justiçamentos, os sequestros, os assaltos, tudo registrado nos arquivos com ambas as visões: a fantasiosa e a verdadeira. A de bandidos que queriam se transformar em heróis e heróis que foram transformados em bandidos pelos fisólofos à soldo do petralhismo, por jornalistas engajados e historiadores que fraudaram a história.
Você, com acerto, diz não ter as respostas para as perguntas que se faz, ao contrário dos que vivenciaram cada frame negro daquele filme. Hoje, quem viveu aquele momento, sabe as respostas de todas as perguntas e sabem que faltam perguntas para tantas respostas.
Por exemplo:
Que "forma de resistência" é essa que falas? Os justiçamentos ocorridos no Araguaia pela SIMPLES DESCONFIANÇA DE QUE UM COMPANHEIRO ESTAVA TRAINDO O GRUPO? O assassinato a marteladas de um jovem tenente que acreditou nas promessas dos guerrilheiros e resolveu se entregar? Uma bomba deixada no aeroporto de Guararapes que deixou 17 vítimas e dois inocentes mortos? Ou a que matou um jovem soldado de apenas 19 anos de idade?
São mais de 40 anos de vida política, diz você. Excetuando-se todas as falsas glorificações dos heróis bandidos, o que sobra de vida de seu pai, se é que ele cometeu algo de louvável, restou findo no dia de hoje e de forma DEMOCRÁTICA, LEGAL, SEGUNDO O ORDENAMENTO JURÍDICO DE NOSSA NAÇÃO e ONDE LHE FOI DADO TODO O DIREITO À AMPLA DEFESA que, diga-se, centrou-se na mais cínica mentira que seu próprio texto, nas entrelinhas, conclui.
E aí, Miruna, chegou a hora de você apresentar respostas para as perguntas sobre as respostas que temos:
1) Sendo seu pai tudo o que você descreve com esse belo amor de filha, como pode eLLe não saber de nada do que era feito bem debaixo de seu nariz?
2) Sendo esse HOMEM PRESUMIDAMENTE, POR VOCÊ, CORAJOSO COMO SEMPRE FOI, segundo diz você, POR QUE ELLE NÃO DISSE NÃO AO QUE OUTROS FAZIAM E AINDA COLOCANDO SUA ASSINATURA PESSOAL EM EMPRÉSTIMOS FRAUDULENTOS?
3) SENDO ESSE HOMEM TÃO COMBATIVO QUE SEU AMOR FRATERNO DESCREVE, POR QUE ELLE NÃO IMPEDIU QUE SE COMETESSE UM CRIME NOJENTO, BEM DEBAIXO DO SEU NARIZ, QUE PODERIA CHEGAR AO QUE CHEGAMOS HOJE?
4) SE ELLE LHE DISSE, AOS 8 ANOS: "MIMI, QUERO MELHORAR A VIDA DAS PESSOAS", então por que permitiu que uma quadrilha roubasse a grana de milhões de brasileiros que trabalham diuturnamente para pagar impostos escorchantes que foram roubados em nome de uma causa?
5) Suponhamos, Mimi, que seu pai não soubesse de tudo o que aconteceu nesse episódio tenebroso que atentou contra a nossa democracia, pergunto: Então, por que não saiu do partido quando soube? Por que comemorou várias vezes com muitos integrantes do bando as "vitórias" do governo, compradas com dinheiro sujo?
6) E a pergunta final Mimi: POR QUE, TENDO TODAS AS CHANCES DE SE DEFENDER, NÃO O FEZ DE FORMA CABAL, ONDE NÃO RESTASSEM DÚVIDAS SOBRE SUA ATUAÇÃO? POR QUE MENTIU TANTO? POR QUE, CORAJOSO, NÃO OPTOU PELA VERDADE DESDE O PRIMEIRO DEPOIMENTO?
Ah, Mimi, não recrimine "os meios de comunicação" desta nossa nação. Muitos jornalistas se esmeram em produzir e divulgar as farsas aprontadas por LuLLa e sua quadrilha. Mas ela, Mimi, ainda é livre. Na Argentina, cujo governo da doida seu pai defende, a imprensa está sendo cassada. Em Cuba ela só existe para falar bem do governo assassino que seu pai defende. Na Venezuela, as versões que prevalecem, são as oficiais. As poucas que falam a verdade, ou foram "estatizadas" ou "foram eliminadas". Todos estes exemplos de democracia, são defendidos pelo seu querido pai.
Seu pai terá, como preza nossa democracia, o pleno direito de espernear o quanto quiser. Faz parte.
Da mesma forma, temos o direito de torcer para que a pena que lhe seja imposta seja suficientemente grande, para que não retorne como falso herói novamente.
Seu pai Miruna, com toda a razão e compreensão que nos cabe ter neste momento difícil que vives, pode ser o HERÓI que sua visão enxerga. É o seu papel de filha e lhe admiro por isso.
Mas para nós brasileiros, que cansamos de impunidade, que cansamos das mentiras contadas por LuLLa e amplamente defendidas por seu pai, que cansamos do cinismo com que fomos tratados, que quase desistimos de lutar por esta nação, ao constatarmos todos os dias que os bandidos de sempre impunham à milhões de brasileiros uma pauta sobre a qual não nos cabia o direito de defesa, seu pai não passa de um bandido covarde que ajudou a roubar o dinheiro que poderia construir escolas, creches, hospitais, comprar medicamentos para quem não tem como pagar, dar casas para quem não tem onde morar e realmente, como eLLe lhe disse aos 8 anos: "que a única coisa que queria, era melhorar a vida das pessoas".
Sinto muito Miruna pela sua dor e pelo momento difícil que estás passando.
Mas não nos tire o direito de sentir uma alegria esfuziante por ver resgatada a justiça que parecia nos ter abandonado. Não nos tire a alegria de poder constatar que um Brasil mais justo e mais honesto, mais verdadeiro e menos cheio de farsantes e mentirosos esteja, finalmente, renascendo.
Lamento te dizer Miruna, mas a sua dor é do tamanho exato da alegria das pessoas decentes.Do simples carteiro que encontra uma mala de dinheiro e devolve, ao invés de escondê-la nas cuecas, como fez seu tio, das pessoas que trabalham incansavelmente para dar um futuro melhor para seus filhos, sem praticar qualquer tipo de crime. Do policial que prende quem tenta lhe subornar. Do juiz que julga de forma imparcial um réu, seja ele quem for. Do político que honra os votos que recebeu.
A sua tristeza, Miruna, é a compreensível tristeza de filha.
A minha alegria, ao ver seu pai preso, pagando pelos crimes que cometeu, é a de um brasileiro que quer deixar para os netos, um país LIMPO – JUSTO – HONESTO e COM PLENO EXERCÍCIO DA MAIS LIVRE E RESPONSÁVEL DEMOCRACIA.
Por fim Miruna, não "É A CORAGEM QUE DÁ SENTIDO À LIBERDADE", como você disse nas primeiras linhas de sua cartinha, mas o medo de perdê-la. A CORAGEM, querida e competente filha, só é necessária para se defender a verdade como norte, quando todos defendem a mentira como método
Daqui.


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Vivissecção: sou contra!


 

 

Por SÔNIA T. FELIPE


Vivissecção: um negócio indispensável aos “interesses” da ciência?

Cientistas e pesquisadores que investigam as doenças que afligem humanos são treinados em centros de pesquisa na prática criminosa da vivissecção, proibida pela Lei 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, quando há métodos substitutivos. Em muitos casos, a vivissecção é o único método no qual a inteligência científica recebe treinamento. Nos últimos quarenta anos, a pesquisa biomédica centrou esforços em experimentos com “modelos” obtidos às custas do sofrimento e morte de animais não-humanos, usados para espelhar as doenças produzidas num ambiente físico e mental humano.
Entre essas estão o câncer, os acidentes vasculares, a hipertensão, a hipercolesterolemia, o diabetes, a esclerose múltipla, as degenerações neurológicas conhecidas por mal de Parkinson e mal de Alzheimer, a “depressão” e outras formas de sofrimento psíquico. Ratos, camundongos, cães, símios, cavalos, porcos e aves são comercializados no mercado vivisseccionista.
Só para dar um exemplo: calcula-se que sejam 2, 6 milhões de humanos sofrendo de esclerose múltipla ao redor do planeta. Os medicamentos obtidos a partir da vivissecção de roedores fracassaram. Cientistas reconheceram que a causa da doença é “ambiental”, contribuindo para ela diferentes genes, não apenas um. Os medicamentos disponíveis hoje, de origem microbiana, não resultaram da vivissecção, e sim da codificação da estrutura físico-química deles (Greek & Greek, Specious Science).
Não sendo aquelas doenças de origem genética nem hereditária, qual seria o propósito científico em se insistir na arquitetura do modelo animal para buscar a cura delas?
Talvez se possa saber a resposta, olhando para os interesses financeiros (reais “benefícios humanos”?), em jogo na base, em volta e por detrás da atividade vivisseccionista acadêmica e dos negócios que ela encobre. Consultando-se a tabela de preços das empresas que fornecem camundongos geneticamente modificados para pesquisas vivisseccionistas, por exemplo, começamos a ter uma ideia do que se esconde por detrás do argumento do “benefício humano”, que os vivisseccionistas defensores da legalização desta prática anti-ética usam como escudo para protegerem-se das críticas abolicionistas.
A pesquisa com animais vivos “beneficia interesses humanos”: o preço de um camundongo geneticamente modificado, para citar apenas uma espécie usada na vivissecção, pode variar de U$ 100,00 a U$ 15.000,00 dólares a unidade. Os utensílios para o devido manejo de um animal desses não são oferecidos por preços camaradas. Um aparelho para matar, de forma “humanitária”, animais usados na pesquisa, desativando-lhes as enzimas cerebrais, custa algo em torno de U$ 70.000,00 a unidade. Aparelhos para conter ratos, cães, gatos e macacos, podem custar entre U$ 4.500,00 a U$ 8.500,00 a unidade. Os “produtores” de animais também são parte desta cadeia que forma a “dependência da ciência em relação à vivissecção”, sem a qual ela não pode sobreviver hoje, e à qual a vida e a saúde humana estão algemadas.
Em 1999, relatam Greek & Greek, a venda de camundongos nos Estados Unidos alcançou 200 milhões de dólares. A de outros animais chegou a 140 milhões de dólares. Mas, os “benefícios humanos” aos quais os vivisseccionistas se referem em sua defesa pública da regulamentação da vivissecção no Brasil, não se restringem apenas ao que os empresários produtores de animais e fabricantes de aparelhos para contê-los nos biotérios e laboratórios faturam. Também os editores das revistas, jornais e livros são parte desta comunidade humana “beneficiada” pela vivissecção. E, finalmente, o benefício humano mais espetacular está no faturamento da indústria química e farmacêutica, uma cadeia de negócios ao qual estão atreladas todas as farmácias ao redor do planeta e todas as pessoas que compram medicamentos alopáticos na esperança de cura ou alívio de seus males, e alimentos processados, cujos componentes levaram os animais a sofrerem o Draize Test e o LD 50.
Mas, quando os vivisseccionistas publicam artigos defendendo a legalização de sua prática anti-ética, a de matar animais para inventar modelos que possam espelhar doenças humanas, mesmo sabendo que cada organismo tem sua própria realidade ambiental e não existe um meio que possa curar uma mesma doença em todos os indivíduos, pois cada um a desenvolve de modo peculiar, os “benefícios contábeis” e os “benefícios acadêmicos” acumulados em todos os elos dessa cadeia vivisseccionista são escondidos do leitor. Ninguém publica, no Brasil, um relato minucioso do montante destinado pelas agências financiadoras à pesquisa vivisseccionista. Por isso, não temos conhecimento dos custos do fracasso vivisseccionista (AIDS, câncer, Parkinson, Alzheimer, esclerose múltipla, diabetes, colesterolemia, doenças ambientais, muito mais do que genéticas).
A pesquisa com animais levou a indústria farmacêutica ao apogeu nos últimos vinte anos. Não casualmente, nestes últimos vinte anos, multiplicaram-se as mortes por insuficiência circulatória, hipertensão, diabetes, câncer, síndromes neurológicas degenerativas, cirrose hepática e infecções. O componente ambiental dos males humanos não pode ser espelhado em organismo de ratos e camundongos. Ao mesmo tempo, vivisseccionistas insistem em defender a lei que legalizará sua prática, dando a entender ao público leigo que a vivissecção é a “saída” para a cura dos males humanos. Seus artigos “científicos” não produzem efeito, nem sobre seus pares vivisseccionistas. Como poderiam produzir efeitos sobre a saúde humana? 80% dos artigos publicados em revista especializada são citados no máximo uma vez em outros veículos, e 50% dos artigos vivisseccionistas jamais são citados, seja na mesma, seja em outras revistas (Greek & Greek). Os milhões de animais mortos para que tais artigos sejam publicados e para que seus autores os contabilizem em sua produtividade acadêmica, tiveram suas vidas destruídas para nenhum outro “benefício humano”, a não ser dar a seus autores o título de mestre e doutor, ou a concessão de bolsas de produtividade.
São esses os reais “benefícios humanos” da prática vivisseccionista, dos quais ninguém pode abrir mão?




sexta-feira, 27 de setembro de 2013

#Fora_Denise_da_Fazenda... só que não...


Uma pessoa normal, faz isso falando sozinha (sabendo que está sendo gravado, né?) Jogar pó de café no chão e depois água.
Mas o pior, na minha opinião, foi devolver à panela com comida, os restos babados do seu prato e achar natural.


#Fora_Denise_da_Fazenda, era o que achava que ela merecia, mas... a bisca continua....

Sempre curti assistir ao programa A Fazenda, mas nessa edição o nível baixou muuuuuuuuuuuuito. A Denise e a Andressa contribuíram muito para isso. A Denise é uma pessoa mal-educada, grossa, relaxada, preguiçosa, neurótica, descontrolada emocionalmente, burra (nunca sabe fazer as coisas direito e nas provas nunca entende), brigona (brigou com a maioria dos participantes), vive repetindo as mesmas coisas ( "Quero a minha vida de volta, em cima de mim tu não cresce, aqui é fácil, quero ver lá fora"... blá, blá, blá... Ela não tem outros "argumentos"? Precisa de dois milhões para esquecer que transou, filmou e todo mundo no congresso viu? Ficou tão traumatizada, coitadinha, mas logo que tudo aconteceu, a primeira coisa que fez foi mostrar tudo de novo numa revista erótica. Ah, fala sério! Essa biscate não pode ganhar esse prêmio.Por quê? Porque ela não merece! Ou o prêmio deve ser dado a quem mais apela, mais chora, mais briga, mais mostra o seu lado horrível, seu lado feio, mais neurótico??? Que inversão de valores nesse país, meu Deus! Sei que se todos fossem bem calminhos e amiguinhos não daria ibope, mas isso não significa baixar taaaaaanto o nível. Ela foi a primeira a cuspir nessa edição: no Ivo enquanto ele estava na piscina. Tenho nojo de pessoas como ela. A produção deveria se preocupar com o nível, com a criatividade e com a diversão do programa. Foram buscar essa bruaca num sanatório? Ou ela não bate bem ou é uma grande atriz. E o zé povinho que não sabe votar nem mesmo em assuntos importantes, fica votando para essa desnorteada ficar. Sejam mais exigentes, por favor! E votem em quem merece realmente ganhar. Mas a Denise é demais para mim.

#Fora_Denise_da_Fazenda, só que não...

Lamentei a saída do Gominho da Fazenda: simpático, educado, alegre, conciliador, divertido, um garoto do bem! Mas parece que as pessoas curtem baixo nível: a Andressa cuspideira custou a sair e a Denise louca continua no programa.
Nem sei como a Denise se formou em Direito: burra, descontrolada emocionalmente, repetitiva nos seus argumentos e mal-educada. Ou ela é realmente uma doente psiquiátrica ou uma excelente atriz. Mas verdadeira ela não é mesmo. E vive chamando os outros de falsos. Ela parece não saber o que essa palavra significa. A tática parece estar dando certo: ela irrita, mostra o seu pior lado como pessoa e continua no programa. Lamentável baixar tanto o nível de A Fazenda como nessa edição. A produção não precisa apelar tanto ao escolher os participantes. Se o programa for divertido, criativo e com "celebridades" interessantes (apesar de tantos desconhecidos do grande público sempre), dará ibope com certeza. Se a Denise ganhar este prêmio, vou ficar muuuuuuuuito decepcionada com a inversão de valores das pessoas. Na minha opinião, o Gominho deveria vencer. Já que ele saiu, que vença qualquer outro(a). Menos a Denise, pois não merece: briguenta, mal-educada, porca (que os porquinhos me perdoem), teatral (fala sozinha para despertar a pena das pessoas que não pensam). Gostei do que o Gominho disse ao Brito ao ser eliminado. Só comprovou que é inteligente e verdadeiro.
Dois milhões... Uau! Muita grana, mas fazer um papel em rede nacional como a Denise está fazendo por dinheiro agindo dessa forma... Uma advogada (provavelmente bem fraquinha) demonstrando ao Brasil a pessoa descontrolada e louca que é... Alguém a contrataria? Eu não contrataria nem que fosse a única advogada no Brasil. Me tapo de nojo com essa bruaca! Como não posso mais torcer pelo Gominho, torço pelo Marco: esse sim parece merecer sua vida de volta. A Denise nem perdeu a dela. Foi ela quem escolheu a transa, o filme, os barracos e não tratou suas neuroses e inseguranças. Até pousou pelada para uma revista logo em seguida: será que estava chorando de tristeza nas fotos mostrando tudo aquilo de novo, logo após roubarem a sua vida? Você que assiste ao programa, já observou como ela muda a fisionomia para despertar pena das pessoas em dias deroça. Minha conclusão: ela é uma atriz, mas com problemas psicológicos. O prêmio dela deve ser um tratamento urgente. Se ela melhorar, quem sabe um papelzinho numa novelinha mexicana. Aí ela poderá fazer bastaaaaante drama! Longe daqui onde ela não consegue conviver normalmente com as pessoas. Também poderia ir para pqp, pois já chega, sua pessoa cansativa, vaza logo... Me tapei de nojo!


O portal R7 precisa repensar muito para a próxima edição!








Fui! Cansei dessa bisca!



quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Isso é Brasil!



 "Somos o único caso de democracia no mundo em que condenados por corrupção legislam contra os juízes que os condenaram. Somos o único caso de democracia no mundo em que as decisões do Supremo Tribunal podem ser mudadas por condenados. Somos o único caso de democracia no mundo em que deputados, após condenados, assumem cargos e afrontam o judiciário. Somos o único caso de democracia no mundo em que é possível que, condenados, façam seus habeas corpus, ou legislem para mudar a lei e serem libertos." 

Ministro Joaquim Barbosa

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Crueldade (des)humana

 
A crueldade (des)humana com pessoas e com animais é inacreditável. Por que o nosso código penal não é atualizado? Por que os cidadãos dignos e os animais indefesos devem ficar à mercê de demônios disfarçados de gente? Chega de tanta impunidade! Chega de tanta regalia a detentos! Chega de só lamentarmos! Queremos leis rígidas, atuais, cumpridas, sem brechas! Cometeu um crime, independente da idade, prisão!!! Só no Brasil é que é assim.
 Veja no link o "mapa mundi" de maioridade penal: http://www.giorgiorenanporjustica.org/mapa_mundi.htm

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Quanto custa a vida de um animal?

 “Quanto custa?” é um curta-metragem de 6 minutos disponível para visualização no Youtube desde 2012. Por meio de uma brilhante edição audiovisual, Fiori Vonière aborda de forma crítica o comércio de animais e sua cruel condição de mercadoria. Cães, gatos, tartarugas, peixes, hamsters, coelhos e outros animais aparecem engaiolados ou expostos em vitrines de vidro, da mesma forma como se expõe qualquer produto para consumo humano.



terça-feira, 9 de julho de 2013

Carreira Médica


Carlos Reinaldo Mendes Ribeiro*


Aumentar a duração dos cursos médicos, obrigar os médicos formados a trabalhar para o Governo por dois anos, deslocando-os para lugares onde não permanecerão clinicando, não é uma boa solução e precisa ser revista.

Não há no Brasil falta de médicos, pois a Organização Mundial de Saúde preconiza 1 médico para cada 1.000 habitantes e temos 1 para 622 habitantes, logo o que existe é má distribuição. A distribuição de uma profissão liberal é determinada pela capacidade do mercado e condições de trabalho. Fica evidente que o Governo deve estabelecer um sistema de distribuição de médicos pagos pelo setor público, em locais onde o mercado de trabalho não permite o exercício da medicina como profissão liberal, e quanto a isto parece não haver discussão.

O que se questiona é a locação numa destas regiões de médicos não vocacionados para clínicos gerais e desajustados às condições de vida da região onde serão obrigados a permanecer por dois anos, um verdadeiro castigo, gerador de atraso da vida profissional planejada. O médico que irá trabalhar neste local deve ser vocacionado para o exercício de clínica geral e identificado com a região onde irá atuar. Assim sendo, ele deve ser selecionado para ingressar num curso médico a partir da região onde se compromete a atuar, como servidor público lá locado. Não se pode pretender, entretanto, que este médico fique condenado a um exercício profissional limitado pelas condições de trabalho vigentes na área onde atua, ele deve ter oportunidades de atualização profissional e perspectivas de carreira no setor público, assumindo maiores responsabilidades, se assim for de seu interesse.

Sugerimos que sejam abertas vagas de formação profissional em medicina, para candidatos bolsistas, comprometidos a atuar na área de origem, como ponto de partida para uma carreira médica no setor público. O valor da bolsa deverá lhe assegurar condições satisfatórias de vida, sendo os custos de sua formação assumidos integralmente pelo setor público. Ficam a cargo do ensino médico os ajustes necessários que assegurem uma formação profissional adequada.

*Sanitarista, professor, escritor e empresário.


Visite o blog:
http://nossobrasilja.blogspot.com.br/


sexta-feira, 5 de julho de 2013

Com a palavra, o candidato...




*QUANDO ACABA A ELEIÇÃO*

No período eleitoral
Candidato vira santo
Bota a cara em todo canto
Favela, sítio, hospital,
Tapera, escola, curral,
Velório, igreja, pensão,
Promete o céu e o chão
Jura descaradamente
Mas muda radicalmente
Quando acaba a eleição!

A teta é bem saborosa
Por isso, quem quer deixar?
O salário é um manjar
E a função é poderosa
A mala preta formosa
Enche os cofres e o colchão
Pois é na corrupção
Que o ganho se multiplica
E a politicalha enrica
Quando acaba a eleição!

O pobre eleitor coitado
Detém o real poder
De banir, cobrar, deter,
E excluir o candidato
Mas o político de fato
Encanta e ilude o povão
Como um piolho malsão
Retorna ao poder de novo
Pra sugar o nosso povo
Quando acaba a eleição!

Mau político tem prazer
De enganar quando promete
Setecentos vezes sete
Promete sem se conter
Sabe que vão esquecer
Nunca houve punição
Não há lei que diga não
Quem paga a promessa é o povo
E o peste vai rir de novo
Quando acaba a eleição!

Pobre do povo enganado
Trucidado em sua calma
Vende o voto e perde a alma
Paga caro ter votado
Não verá do combinado
Nem saúde, educação,
Nem infra-estruturação
Nem água, esgoto ou transporte,
Segurança só na sorte
Quando acaba a eleição!

O que se vê todo o dia
É a briga pelo poder
Quem mais tem mais faz pra ter
E haja dinheiro e folia
A bandidagem alicia
No caos da corrupção
A ética perde a razão
Ser honesto é coisa rara
Falta vergonha na cara,
Quando acaba a eleição!

E a gente sente vergonha
De ver chafurdando em lama
Símbolos que a gente ama
De forma torpe e bisonha
Mas a nação ainda sonha
Botar na grade o ladrão
E sanear a nação
Pra ter sua honra de novo
E o governo ser do povo
Quando acaba a eleição!


Merlânio Maia.


Merlânio Maia, Paraibano de Itaporanga, descobriu-se poeta desde muito cedo e ali na sua cidade tornou-se um declamador e construtor de versos desde menino, sua poesia cheia da nordestinagem nascidas na raiz da Cultura Popular logo a todos encantou, como encanta até hoje.



Encontrei aqui.


sábado, 22 de junho de 2013

País em manutenção: sem retorno!

 


  DESABAFO:

  A Sra. Presidenta levou dias para "preparar" o seu discurso em rede nacional sobre as manifestações. Custou a aparecer e o que foi dito? Nada aproveitável!
Amenizou com mais promessas ridículas e frágeis. Mais promessas, Sra. Presidenta?
Queremos soluções! Chega de corrupção, de desvios e de mau uso de verbas públicas, basta de impunidade, queremos os mensaleiros na cadeia, vergonha na cara da nossa política etc. Não é mais preciso listar os problemas, pois todos os brasileiros já sabem.
Respeito e investimento já na Educação, Segurança, Saúde e basta de roubalheira!!!!
  Outra coisa: seria muito ingênuo de nossa parte achar que só agora há corrupção no país. É óbvio que não. Mas o que mais me deixa indignada é ver o PT há dez anos no poder fazendo o que está fazendo. O PT que sempre discursava pela ética, que criticava os outros, que dizia que faltava vontade política... Argh!!!!! Que asco! Então, o mínimo que os brasileiros petistas que ainda não acordaram e ainda não enxergaram (ou não querem enxergar) a verdadeira cara do PT podem fazer é ficarem vermelhos de vergonha e pararem de querer tapar o sol com uma peneira e ficar desviando o foco das manifestações falando nas corrupções do passado, tipo: ""Não foi o PT que inventou a corrupção... blá, blá, blá..." Ah, tá! Então vamos cruzar os braços, assistir às novelas e fazer de conta que tudo está ótimo. Esses merecem o governo que temos.
  Em relação ao vandalismo, é óbvio que não são os manifestantes que praticam vandalismo. O que acontece com algumas pessoas que parecem que não raciocinam, meu Deus? Generalizam como se as manifestações fossem puro vandalismo. Quanta ingenuidade achar que milhares de pessoas nas ruas não atrairiam vândalos, bandidos, oportunistas. Desde quando uma minoria representa a maioria? Em vez de ficarem criticando e hostilizando os manifestantes, devemos aplaudi-los, pois enquanto estamos dentro das nossas casas, no nosso conforto, eles estão se arriscando nas ruas, gritando por nós também e tentando melhorar o nosso país.
  E quando chegarem as eleições, que as pessoas usem as suas cabeças pensantes  para investigar o histórico dos candidatos e procurem votar com lucidez e isenção!

 #ForaPT  #MudaBrasil  #ProntoFalei

Vista esta camiseta!




terça-feira, 18 de junho de 2013

Um dia histórico



 A pluralidade nas manifestações desta segunda-feira, dia 17/06/2013: um dia histórico que é apenas o início de mais uma mudança no Brasil:

#Anos 60/70 contra a ditadura.
#Anos 80 - Campanha Diretas Já!
#Anos 90 - Fora Collor!
#2013, 17 de junho: insatisfação generalizada. "O gigante acordou e mudou de status: de 'Deitado em berço esplêndido...' para 'Verás que um filho teu não foge à luta'." 

 Confira os cartazes, clicando no link abaixo:

Cartazes do Brasil nas Manifestações (Clique em cada imagem para ampliar)












quinta-feira, 6 de junho de 2013

"Lula pagou a dívida externa": Verdade, demagogia ou farsa?



  No dia 22 de fevereiro de 2008, o Governo Lula anunciou, por meio do Ministério da Fazenda e do Banco Central, que a dívida externa brasileira havia sido quitada. E ainda mais: já éramos até credores.

  Tal notícia foi estampada, na época, na manchete dos principais jornais do país, como, por exemplo, no jornal Estado de S. Paulo:  “O relatório divulgado ontem pelo Banco Central, segundo o qual o Brasil, pela primeira vez em 508 anos de história, deixa o papel de devedor e ingressa no seleto time dos credores do mercado internacional, é a consolidação de uma virada histórica”.

  Em O GLOBO: “Sem a adoção de nenhuma das propostas histórias do PT para o problema (moratória, auditoria ou plebiscito), a dívida externa deixou oficialmente de ser um peso na economia brasileira”.

  Esse anúncio foi usado incessantemente como marketing político pelo PT. Entretanto, casos como esse são passados de forma muito superficial ao povo brasileiro, implicando manipulação eleitoreira e ideológica de dados. Cabe a nós explicar algumas questões.

  Vamos aos fatos - uma análise econômica feita pelo economista Waldir Serafim:
Continue lendo aqui.


quinta-feira, 23 de maio de 2013

Bolsa Família e os miseráveis com celular


De: Ucho Haddad – Para: Dilma Rousseff  

 

Assunto: Bolsa Família e os miseráveis com celular

 

(*) Ucho Haddad



Dilma, você realmente aprendeu as lições de como ser chefe de Estado em um país onde a massa ignara é imensa.
Qualquer mentira lançada ao ar é facilmente assimilada sem muitas contestações, pois os que não pensam são recompensados com esmolas sociais, enquanto os que pensam são acusados de golpistas. Assim, Dilma, é muito fácil dar um golpe e transformar o Brasil no que os comunistas contemporâneos costumam chamar de “ditadura ideal”, se é que um regime de exceção pode ser assim classificado.
Com o projeto de reeleição decorando a sua atuação como presidente, você, Dilma, está cada vez mais teatral. E confesso que a sua vocação para o drama chega a comover diretores de novelas mexicanas, de tão fajuto que é seu desempenho. Possivelmente dentro de alguns anos até o seu neto não acreditará nos seus discursos rocambolescos, que por enquanto passam despercebidos apenas no jardim da infância.
No seu lugar, Dilma, teria tomado doses extras de cuidado antes de fazer comentários sobre a epopeia em que se transformou a falsa notícia sobre o fim do Bolsa Família. Em Pernambuco, você afirmou que o boato, que levou milhares de beneficiários aos terminais eletrônicos da Caixa no final de semana, é “desumano” e “criminoso”.
Cá estou a pensar sobre qual tema tratarei primeiro, mas creio que a ordem dos fatores não alterará o produto. Até porque, jamais se viu uma máscara cair de forma tão inesperada e verdadeira. Veja bem, Dilma: nos últimos anos você tem insistido no discurso de que o Bolsa Família tem como objetivo tirar as pessoas da miséria. Algo que combina com o bravateiro slogan do seu governo: “País rico é país sem pobreza”. Tão óbvio quanto dizer que o frio é ausência de calor ou, então, que a escuridão é provocada pela falta de luz. E quando o assunto é ausência de luz você é a primeira a ser lembrada.
Pelas imagens divulgadas na imprensa, quem correu aos caixas eletrônicos para sacar a esmola oficial está a anos-luz da miséria.
 São tantos os detalhes que desmontam a farsa montada pelo PT, que é melhor não enumerá-las. O único comentário, para ser econômico, é que há no Brasil milhões de miseráveis como os que foram sacar o pagamento extra do Bolsa Família. Na cidade de São Paulo, por exemplo, milhares usam o Bolsa Família como desculpa para o ócio. Eis o legado que o PT está deixando às futuras gerações: uma legião de indolentes que se acostumaram com o financiamento do Estado.
Dilma, não há mais como negar que o Bolsa Família mantém um obediente curral eleitoral. Em outras palavras, o PT arrumou um jeito de comprar votos de eleitores desavisados utilizando o suado dinheiro do contribuinte, como se o Brasil fosse uma nação sem leis.
 A cena das pessoas se amontoando diante dos caixas eletrônicos trouxe à memória a imagem de Lula, ainda na oposição, acusando FHC de fisgar os eleitores pelo estômago com essas esmolas sociais. Sendo assim, peço que explique o que representa essa operação criminosa do PT palaciano. Pronto, pelo menos um tema já abordei. O lado criminoso do Bolsa Família.
Muito se fala que a investigação de qualquer escândalo com a chancela do PT precisa não apenas de provas documentais, mas de imagens. E as imagens já existem e ganharam o Brasil. O pior, Dilma, é que contestá-las tornou-se missão impossível. Ouso afirmar que essa difícil tarefa caberia ao seu antecessor, Lula, que nada poderá fazer no momento em razão da fuga que empreende há meses para evitar explicações sobre o Rosegate, episódio de corrupção explicita protagonizado pela namorada do messiânico Lula, a Marquesa de Garanhuns.
Como já abordei o lado criminoso do Bolsa Família, agora falta o “desumano”. Desumanidade é algo que vocês, petistas, praticam com invejável destreza. E o fazem com tanta intimidade, que quem desconhece a peçonha do seu partido acredita que vocês, Dilma, são todos bem intencionados, não sem antes serem incompreendidos pelas “elites”.
Pois bem, Dilma, passemos de fato o viés desumano da ópera bufa do final de semana. A desumanidade foi cometida não contra os beneficiários do programa eleitoreiro, mas, sim, contra aqueles que o financiam. Ou seja, contra aqueles que não votaram em você e muito menos no embusteiro Lula.
O mundo inteiro já sabe que o PT é uma vasta reunião de herdeiros de Aladim e descendentes de Messias, o que garante a você, Dilma, o direito de faltar com a verdade e afirmar que no Brasil há golpistas de plantão. E golpista é aquele que pensa com doses mínimas de coerência e lógica, discordando do vasto picadeiro que os petistas montaram a partir do Palácio do Planalto.
Ninguém chega à presidência de um país, por pior e mais desorganizado que seja, na esteira da idiotia. E de tola, Dilma, você nada tem, apesar de vez por outra se fazer de desentendida. Você de fato acredita que os brasileiros do Bolsa Família são miseráveis e precisam da esmola do governo? Em caso afirmativo, a mim resta reconhecer que vocês, magnânimos salvadores da humanidade, criaram sem avisar a miséria “high tech”.
Afinal, nas primeiras explicações oficiais sobre o imbróglio seus estafetas foram claros ao afirmar que os inscritos no programa poderiam buscar informações na internet e que também seriam avisados por meio de SMS.

Dilma, que raio de miserável é esse que vocês petistas inventaram? Miserável com celular e internet?
É verdade que os “companheiros” estão firmes e fortes, “pero no mucho”, no projeto do golpe, mas tudo tem limites. Esse ideário golpista só prosperou porque o brasileiro é acomodado e se acostumou a fazer oposição de controle remoto, mas não queiram chamar todos os nativos de imbecis, porque a coisa pode ficar feia para o seu lado.

Dilma, aconselhe seus obedientes comandados a deixarem de lado o oportunismo barato, pois por enquanto caiu apenas a primeira máscara. Se prevalecer o efeito dominó, o seu carnaval político rapidamente se transformará em malhação de Judas.


Esta vaga não é sua!







Cidadania?
Você encontra aqui:


Evite as drogas!

Evite as drogas!
Não fume!!!

Ajude a divulgar: os animais agradecem!

create your own banner at mybannermaker.com!

Clique na imagem e...

Conheça meu blog divulgador!